Polícia Civil do Rio Grande do Norte: informações sobre o próximo concurso

17/09/20 | Carreiras | por

Esperando o edital da Polícia Civil do Rio Grande do Norte? Neste artigo, você encontrará atualizações sobre o próximo certame e entenderá como funcionaram os últimos concursos para as carreiras policiais no Estado.

Um dos concursos mais aguardados pelos concurseiros de todo o Brasil é o da Polícia Civil do Rio Grande do Norte. Toda essa expectativa se deve ao tempo transcorrido desde a publicação do último edital para as Carreiras de Delegado, Agente e Escrivão, que ocorreu no ano de 2008.

Todavia, depois de uma notícia publicada pelo Órgão no dia 11/09/2020, os futuros candidatos ficaram bastante esperançosos: a banca do próximo certame foi escolhida e, segundo a Delegada-Geral do Estado, Ana Cláudia Saraiva, será a Fundação Getúlio Vargas – FGV!

De acordo com ela, “Após criteriosa pesquisa mercadológica, avaliação da Comissão Permanente de Licitação da Instituição e aprovação da Comissão Especial do Concurso, acatei o inteiro teor da justificativa apresentada. Decidimos escolher a Fundação Getúlio Vargas, que tem 73 anos de experiência e respeitabilidade no mercado para realizar o certame.”.  

Além disso, ela também informou que “Até o edital, teremos muitos passos, passos esses que estão sendo dados com toda a celeridade, em cumprimento ao Termo de Ajustamento de Conduta que celebramos com a Procuradoria-Geral do Estado, com o Ministério Público, com a Secretaria de Segurança Pública e com a Secretaria de Administração. Trago essas informações em respeito à transparência e a todos aqueles que pretendem ingressar em nossa Instituição.”.

Sendo assim, conforme mencionado pela própria Delegada-Geral, os trâmites estão bastante acelerados e as expectativas estão altas para o próximo concurso! Pensando nisso, analisamos o último edital para as Carreiras de Delegado, Agente e Escrivão para te explicar como funcionaram os certames. Vamos entender?

ÚLTIMO CONCURSO PARA DELEGADO

O último concurso para Delegado no Rio Grande do Norte foi realizado em 2008 pelo CESPE/UnB e oferecia 68 vagas para o cargo.

Os requisitos para preenchimento das vagas era diploma, devidamente registrado, de bacharel em Direito, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, e Carteira Nacional de Habilitação. A remuneração, à época, era de R$ 7.957,18.

O candidato precisava passar por cinco fases, divididas da seguinte forma:

  • Prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório;
  • Prova discursiva, de caráter eliminatório;
  • Avaliação física, de caráter eliminatório;
  • Exame psicotécnico, de caráter eliminatório;
  • Curso de Formação, de caráter eliminatório.

A prova objetiva durou 5 horas e contou com 100 questões de múltipla escolha, sendo 30 de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, divididas da seguinte forma:

Conhecimentos Básicos:

  • Língua Portuguesa
  • Noções de Informática
  • Atualidades

Conhecimentos Específicos:

  • Direito Administrativo
  • Direito Constitucional
  • Direito Civil
  • Direito Tributário e Financeiro
  • Direito Penal
  • Direito Processual Penal
  • Legislação Complementar à Matéria Penal e Processual Penal
  • Medicina Legal
  • Noções de Criminalística
  • Lei Orgânica e Estatuto da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Norte

Cada questão objetiva valia 1 ponto e seriam reprovados os candidatos que se enquadrassem em pelo menos um dos itens a seguir:

a) obtivessem nota inferior a 15 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Básicos (P1);

b) obtivessem nota inferior a 35 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Específicos (P2);

c) obtivessem nota inferior a 50 pontos no conjunto das provas objetivas.

A prova discursiva, aplicada no mesmo dia da prova objetiva, valia 10 pontos e consistia na elaboração de um texto de, no máximo, 30 linhas, acerca das disciplinas citadas acima.

Respeitados os empates na última colocação, seriam corrigidas as provas dos candidatos aprovados na fase objetiva e classificados em até a cinco vezes o número de vagas para o cargo.

Na avaliação física, etapa seguinte, foram exigidos os seguintes testes:

  • Barra (teste dinâmico para candidatos do sexo masculino e estático para o sexo feminino);
  • Flexão abdominal;
  • Corrida de 12 minutos.

Para se classificar para a próxima fase, o candidato precisava alcançar o desempenho mínimo em todos os testes, conforme especificações constantes do item 9 do edital.

A próxima fase, de exames psicotécnicos, consistia na aplicação e na avaliação de técnicas psicológicas, com o intuito de analisar a adequação do candidato ao perfil do cargo. Ao final das avaliações, o candidato seria considerado recomendado ou não recomendado.

Por fim, seriam convocados para participar do Curso de Formação Profissional Policial os candidatos ao cargo de Delegado classificados até a 90.ª posição, sendo fornecida, durante o período do curso, bolsa para custeio de despesas pessoais.

É importante lembrar que, por ocasião da realização da matrícula no Curso de Formação, o candidato precisava preencher, para fins da investigação social, uma Ficha de Informações Confidenciais (FIC), de acordo com o previsto na Lei Complementar n.º 270, de 13 de fevereiro de 2004 (Lei Orgânica e Estatuto da PC/RN). A investigação visava apurar se os candidatos apresentavam procedimento irrepreensível e idoneidade moral inatacável.

ÚLTIMO CONCURSO PARA AGENTE E ESCRIVÃO

Os cargos de Agente e Escrivão também tiveram seu último edital publicado em 2008 e organizado pelo CESPE/UnB. Foram ofertadas 263 vagas para Agente e 107 para Escrivão, ambos remunerados, à época, em R$ 2.085,78.

As exigências eram diploma, devidamente registrado, de graduação em nível superior, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, e Carteira Nacional de Habilitação.

As fases foram as seguintes:

  • Prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório;
  • Prova discursiva, de caráter eliminatório;
  • Avaliação física, de caráter eliminatório, exceto para Escrivão;
  • Prova prática, de caráter eliminatório, somente para Escrivão;
  • Exame psicotécnico, de caráter eliminatório;
  • Curso de Formação Profissional, de caráter eliminatório.

A prova objetiva durou 5 horas e contou com 100 questões de múltipla escolha, sendo 30 de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, divididas da seguinte forma:

Conhecimentos Básicos:

  • Língua Portuguesa
  • Noções de Informática
  • Atualidades

Conhecimentos Específicos:

  • Noções de Criminalística
  • Noções de Medicina Legal
  • Noções de Direito Administrativo
  • Noções de Direito Constitucional
  • Noções de Direito Penal
  • Noções de Direito Processual Penal
  • Legislação Complementar à Matéria Penal e Processual Penal
  • Lei Orgânica e Estatuto da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Norte

A prova discursiva, aplicada no mesmo dia da prova objetiva, valia 10 pontos e consistia na elaboração de um texto de, no máximo, 30 linhas, acerca das disciplinas citadas acima.

Os critérios de pontuação da prova objetiva e de correção da prova discursiva foram iguais aos citados para o concurso de Delegado. O mesmo acontece com as regras da avaliação física, mas com uma observação importante: esta fase não foi exigida para Escrivão.

Uma outra etapa deste concurso foi a prova prática para o cargo de Escrivão, que valia 10 pontos e consistia na elaboração de uma planilha no Excel, que deveria ser convertida em uma tabela para uso em um documento do Word e, posteriormente, enviada por meio eletrônico (Outlook). O candidato deveria estar apto a digitar em qualquer tipo de teclado, sendo eliminado aquele que obtivesse nota inferior a 5 pontos.

As disposições editalícias sobre o exame psicotécnico também foram as mesmas para os cargos de Delegado, Escrivão e Agente. Contudo, é importante destacar que, para esta fase, foram convocados apenas os candidatos aprovados na avaliação física, para os cargos de Delegado e Agente, e os aprovados na prova prática de microcomputador, para o cargo de Escrivão.

Quanto ao Curso de Formação Profissional, foram convocados os candidatos ao cargo de Agente classificados até a 320.ª posição, os candidatos ao cargo de Escrivão classificados até a 130.ª na listagem geral e até a 7.ª posição da listagem de candidatos que se declararam portadores de deficiência, compreendidos nestes números aqueles habilitados até a quarta etapa do concurso, considerando-se a soma das notas obtidas nas provas objetivas e discursivas.

Por fim, assim como o previsto para Delegado, os candidatos às carreiras de Agente e Escrivão também foram submetidos à investigação social e fizeram jus à bolsa para custeio de despesas pessoais.

Clique aqui e acesse o edital:

http://www.cespe.unb.br/concursos/PCRN2008/arquivos/ED_1_2008_PCRN_ABT.PDF

Lembrando que o Supremo vai com você até a aprovação!

Somos referência nacional em carreiras policiais e vamos te preparar para o concurso de Delegado!

Fique atento ao nosso site e às nossas redes sociais, pois lançaremos em breve uma turma pré-edital imperdível! Acesse: supremotv.com.br e siga-nos no Instagram: @supremotv.


Aproveite para seguir nosso canal no Telegram! Divulgamos conteúdos exclusivos e em primeira mão para você saber de editais e notícias antes de todo mundo! Faça parte agora mesmo: bit.ly/TelegramSupremo.

Compartilhe este post!

Nenhum comentário - Quero comentar!

Nenhum comentário ainda.

RSS feed para comentários neste post. TrackBack URL

Deixe seu comentário