Concurso público com teste físico? 5 dicas para se preparar (e passar)!

 

A vida de um concurseiro não é nada fácil. Além de ter que dedicar várias horas diárias aos estudos, ter que ler e acompanhar mudanças nos editais, estar atualizado em relação à legislação e jurisprudência, muitas vezes o candidato ainda precisa se preparar para outro desafio: o concurso público com teste físico.

Quando o cargo público disputado exige vigor físico e bom estado de saúde para o exercício da profissão, é comum que exista um Teste de Aptidão Física — conhecido como TAF. Este TAF se mostra presente, principalmente, para preenchimento de cargos das carreiras policiais como Delegado, Agente, Escrivão, Papiloscopista, Perito, Soldado, Oficiais da Polícia Militar, Polícia Legislativa, dentre outros.

De toda forma, vale o alerta: não há nenhuma norma que impeça a aplicação do TAF em qualquer concurso público em que haja entendimento do órgão responsável da necessidade de testar fisicamente o candidato, a fim de exercer adequadamente a função a ser ocupada.

Como são realizados os testes?

A maneira como são conduzidos os testes físicos variam de um edital para o outro. Porém, geralmente são listados exercícios específicos com a respectiva meta mínima exigida para cada um deles.

Em uma prova de corrida, por exemplo, é comum que seja predeterminada a distância mínima a ser percorrida em um certo tempo. Já num exercício como a Flexão de Cotovelo na Barra Fixa, é definida a quantidade mínima de repetições a serem executadas.

É comum que o TAF seja de caráter eliminatório, mas não interfira na classificação dos candidatos. Assim, não há diferença na pontuação se uma pessoa consegue se sobressair em um exercício ou outro, mas considera-se apenas se foi atingida a meta mínima estabelecida.

O Teste de Aptidão Física é uma das etapas que mais elimina candidatos em concursos para carreiras policiais. Por isso, é fundamental que o concurseiro se prepare de forma eficiente para o exame.

Para isso, separamos 5 dicas fundamentais para ser aprovado no TAF. Vamos a elas!

Como se preparar?

1. Comece a preparação com antecedência

Esta não é a primeira dica por acaso. É muito comum que concurseiros só comecem a se preparar para o TAF após o recebimento da notícia de aprovação da fase anterior, de provas escritas. Trata-se de um erro grave, que pode custar a reprovação no concurso.

É recomendado não apenas iniciar os treinos antes da comprovação da aprovação antecedentes, mas também que o candidato otimize o seu tempo e comece a se preparar fisicamente antes mesmo da publicação do edital, intercalando treinos e estudos. Quanto antes a preparação física for iniciada, mais fácil será o TAF.

Entre os concursos públicos com teste físico mais comuns, o tempo médio entre a notificação de que o candidato fará o TAF e a aplicação do exame é de 3 a 6 semanas. Esse tempo é extremamente curto para se preparar apropriadamente para o teste. O ideal é que haja, no mínimo, 12 semanas para a preparação física.

Obviamente, esse tempo varia de uma pessoa para outra, dependendo de sua condição e seu preparo físico prévio.

2. Dedique-se com seriedade

É essencial que o concurseiro consiga entender bem o nível do teste e se prepare com dedicação para obter sucesso no TAF. Muitos candidatos ficam tão concentrados em obter uma boa pontuação nos outros testes que negligenciam a importância do exame físico.

Recomenda-se que o candidato procure ajuda profissional, como a instrução de personal trainers, e se alie a outros concurseiros. Poder contar com um profissional para orientar ou determinar uma rotina de treino ou com parceiros que estejam na mesma situação pode ser determinante para conseguir manter a disciplina.

3. Priorize exercícios compostos

Um dos grandes vilões dos TAF é o teste em barra fixa. O exercício da barra fixa é extremamente complicado, uma vez que seu nível de dificuldade depende tanto do percentual de gordura corporal de cada pessoa quanto da força e do desenvolvimento de vários músculos diferentes, que trabalham juntos nesse tipo de flexão.

Por consequência, trata-se do exercício que mais reprova em concursos policiais. A barra fixa é um exercício composto, ou seja, trabalha diversos músculos e partes diferentes do corpo ao mesmo tempo. Logo, é fundamental que se priorize esse tipo de movimento, já que ele é mais difícil e, além disso, seu desenvolvimento afeta positivamente o desempenho em vários outros exercícios.

Outra dica crucial para atingir a quantidade de repetições necessárias na barra fixa é também treinar isoladamente os braços, as costas e o abdome, já que eles participam ativamente do movimento.

4. Mantenha a consistência

Qualquer profissional da área fitness ou pessoa que treine regularmente há muito tempo pode confirmar esta grande verdade: o que realmente importa não é o tipo de treino escolhido ou a maneira como você treina, e sim conseguir manter a consistência dele. Defina qual será seu plano de treinos e siga o planejamento com rigidez.

Não adianta tentar se enganar faltando um dia de treino e tentando compensar se exercitando mais intensamente no próximo. Não é assim que o corpo funciona e fazer isso só atrapalhará seu desenvolvimento, já que os músculos precisarão de mais descanso antes do próximo treino. É fundamental que se consiga treinar em todos os dias que foram estabelecidos no seu plano.

Claro que, em casos de alguma lesão ou enfermidade, é mais prudente descansar e esperar melhorar até o próximo treino. Entretanto, se o obstáculo for de outra natureza como, por exemplo, não poder ir à academia onde se exercita ou estar um pouco cansado, é melhor treinar como conseguir do que deixar de se exercitar.

5. Valorize a alimentação e o descanso

Treinar puxando pesos ou praticando exercícios aeróbicos é apenas um dos três pilares do desenvolvimento corporal. Se alimentar e descansar adequadamente é tão relevante quanto o treino realizado — muitos especialistas argumentam que isso é, na realidade, ainda mais importante.

Portanto, defina e siga à risca um plano de alimentação e descanso. Muitos acreditam que o desenvolvimento muscular acontece durante a prática física. Trata-se de um engano comum, já que o músculo se desenvolve justamente durante o descanso após o treino, em que ocorre a recuperação e a regeneração das fibras musculares.

Da mesma forma que o descanso, a alimentação tem um papel fundamental no preparo físico. Independentemente do objetivo da pessoa ser ganhar força (massa magra) ou perder gordura, a dieta deve estar alinhada a esse propósito, seja no aumento da ingestão de proteínas ou na redução de carboidratos ou de gordura.

Uma boa condição física não é alcançada de um dia para o outro. Assim, é imprescindível que se realize uma preparação adequada para aumentar as chances de aprovação em um concurso público com teste físico. Com disciplina, força de vontade e conhecimento, não existe obstáculo intransponível!

Gostou do artigo? Esclareceu sobre como se preparar e passar em um concurso público com teste físico? Continue se aprimorando na preparação para concursos: assine nossa newsletter!

Compartilhe este post!

1 comentário - Quero comentar!

  • Ajudou muito, dicas bem legais e vai me ajudar muito a me preparar para testes como PRF E PF

    Comentário por Ricardo Junior — dezembro 12, 2018 @ 12:43 am

RSS feed para comentários neste post. TrackBack URL

Deixe seu comentário